segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015



A vida começa sempre que sentimos o nosso coração bater como que da primeira vez…
Mesmo que tenhamos de viver todos os dias de novo… O importante é saber nascer, o que ser e como morrer a cada noite que nos pousamos sobre a almofada…

Sentada reflito no mistério do amor…


'Um dia eu largo o mundo, num suspiro profundo e num segurar de rosto para que o sol não me ofusque a paisagem que fica cada vez mais lá ao longe. Um dia verei onde estou rodeada de água ou de nuvens, não sei, mas não estarei virada para cá.
Um ia verei mil sois nascer de várias formas, cores e sabores. Um dia pedirei perdão a quem tanto pediu que não tirasse os meus pés do chão e ficasse de coração.
Mas o meu coração de livre nada tem, e o sabor que guardo, tão tingido pela distância, nunca se apaga.
Existe um sabor que eu sei de cor. É o sabor do amor e de um amor que sei não me esquecer também.
Um dia o olhar ficará turvo, embaciado, encharcado. Mas o tacto nunca perderá a textura da minha terra. 
Um dia o anoitecer, será contado às estrelas em como aquela gente que eu amo, está sempre dentro de mim.
Um dia serei a viagem. Serei o esforço. A ocupação para esquecer. Um dia talvez não seja fogo que queima, nem cinzas espalhadas onde te espero encontrar.
Mas fecho os meus olhos e tu estarás sempre comigo.’

”Pode haver a saudade
dentro do peito a ferver
e com ela bate a compasso
o medo de te perder

segura-me

Pode haver o silêncio
que queima todo o espaço
e solta-se no vazio do quarto
na melodia do teu abraço

acalma-me

Pode haver a mágoa
de dois corpos ausentes
mas quando a noite acalma
as almas dançam presentes

abraça-me

Pode haver a carência
nos lábios secos de dor
Mas nunca dentro de nós
irá acabar o Amor!

Ama-me… ”


#amor#abraço#insegura
porque é que me sinto assim…
esquisita
carente
a precisar de conversar com alguém
a precisar de dizer tolices
de alguém para me espairecer
pra me fazer rir
e só não está quem eu quero…
e tu, meu amor
estas no teu outro mundo
mas como preciso de te ter aqui
precisava agora de te ouvir
de sentir o teu beijo de boa noite
preciso de ti

porque é que estou assim ?!


eu sei
desculpa
E o vento que faz o meu cabelo deslizar
é o teu beijo que me acaricia
E o sol que penetra na minha pele
é o teu abraço que me aquece a alma
E a chuva que molha-me o rosto
são as tuas lágrimas de saudade

Mas depois vem a lua
que traz de ti o sabor do amor…
é a tua luz interior…

E então fico cheia de ti…
Cheia de energias mágicas
Pronta para ultrapassar fronteiras
e encontrarmos o nosso caminho
juntas….

esperei horas… dias.. anos… até que um dia  esse alguém me encontrou me estendeu a mão
levantou-me do chão e caminhou
a meu lado e agora de mão na mão  trazes me de volta ao caminho que percorri, um cheiro a flores no meu jardim… 

És a bússula que me (des)orienta
És a rosa (dos ventos)

que perfuma o meu trilho És tu que me guias és a luz que ilumina os meus dias Não soltes a minha mão porque ainda temos muito que (per)correr  :)
Tenho-te em mim,
num lugar bem dentro
onde só fica quem sabe
o que é o amor 

Dou-me a ti
como se fosse a primeira vez
 que te olho

e Deixo repousar em mim
o brilho do teu sorriso 
e o bater do teu coração

Hoje estás mais em mim
Amo-te!

”(…)O mundo precisa de ti. E tu precisas de viver o melhor que tens. A tua vida é demasiado importante para depender de te sentires especial. O caminho vai ser longo e difícil. Vais ser criticado e vais falhar… mas se apesar de cada falhanço, cada crítica e cada sofrimento continuares a dar o teu melhor… então é porque te tornaste em alguém especial.”
"Os outros eu conheci por acaso. Tu eu encontrei porque era preciso."
Amo-te maninha....
"Resolvi aceitar algumas coisas da vida, sem dor. 
Ninguém vai ser como tu sonhas, não esperes consideração nem que os outros façam o que tu farias. Não esperes que valorizem o teu esforço. Não esperes que te ofereçam a mão. Apenas vive. Aceita que é preciso para deixar o orgulho de lado e dizer ''Preciso de ti agora''. É preciso entender que o outro é diferente e de vez em quando ele vai magoar (e tu precisas de lidar com isso, senão viverás só). 
Não esperes compreensão. Não esperes que a vida seja fácil. Nem sempre ela é. Não esperes para viver, tem coisa que não volta."
« life ins’t about waiting for the strom to pass… it’s about learning to dance in the rain » e como é que se dança no meio de uma tempestade?

«Hoje é o dia da Essência. De brincares com
ela, de lhe dares atenção, de a levares a
sério. A nível evolutivo, o teu Eu Superior é
o mestre. É quem te pode ensinar. É quem
tem o teu plano de vida lá em cima, o plano
ao qual deves recorrer em caso de dúvida.
E, nesse caso, é o Eu Superior.

A nível de auto-estima, experiência terrena
e auto-realização, é a Essência a grande
senhora. É ela que sabe o que te vai fazer
feliz aí em baixo. Com os recursos aí de baixo.
Ela é quem tem o teu plano de vida aí em
baixo e é responsável por fazer com que tu o
cumpras da maneira mais criativa possível.
Criando um eu novo a cada dia. Ou, pelo
menos, rejuvenescendo-o a cada dia.

E hoje é o dia dela. Faz algo que desejas
fazer há muito tempo. Tem essa coragem.
Essa ousadia de correr atrás do que te faz
feliz. Vai. Faz isso. E oferece essa ousadia à
tua essência. Dá-lhe. Mostra o quão gostas e
confias nela. Conversa com ela. Pergunta-lhe
o que é que ela quer que vistas hoje, como
gostaria que penteasses o cabelo, e por aí
adiante.

Vais ver que essa bolinha branca no peito vai
começar a falar. A dizer o que quer e ao que
vem. Tira um dia só para estares com ela.
Dá-lhe prioridade na tua vida. E vais ver que
vais começar a dar força a uma das maiores
aliadas do céu na tarefa definitiva de te fazer
feliz.


Jesus»

we are infinity… and forever more…
«Quero ser o teu melhor sorriso, 
Mimar-te sempre que possível.
Ser o teu sonho, o teu segredo, 
A tua raiva, o teu medo 
O teu desejo, mais profundo
A tua vida, o teu mundo.

Nas quatro estações vou viver só para te dar razões, razões para me amar.»
as vezes tenho a sensação que nunca irei estar a altura dos outros… mesmo esforçando-me para tentar lá chegar… 
aos olhos dos outros parece que serei sempre um grão de areia… que nunca terá efeito nenhum para coisa nenhuma….
enfim… desabafos
e quando fecho os olhos…
sinto as tuas mãos na minha cintura
sinto a tua respiração bem perto de mim
sinto o quente dos teus lábios a tocarem a minha pele

meu amor…
eu sinto-te aqui, sabes?!
E o vento que faz o meu cabelo deslizar
é o teu beijo que me acaricia
E o sol que penetra na minha pele
é o teu abraço que me aquece a alma
E a chuva que molha-me o rosto
são as tuas lágrimas de saudade

Mas depois vem a lua
que traz de ti o sabor do amor…
é a tua luz interior…

E então fico cheia de ti…
Cheia de energias mágicas
Pronta pra ultrapassar fronteiras
e encontrarmos o nosso caminho
juntas….

”Sou honesta, para ti as palavras não são suficientes. 
Houve alturas que não parava de escrever sobre ti e sobre nós. Preferia por tudo no papel, tudo o que ainda não tinha coragem de te dizer, tudo o que não gostava de pensar, ou sentir. Hoje, nos dias que vivemos, só consigo dizer que te amo e pouco mais que isso. 
Os sonhos que temos juntas, e os individuais, porque apesar de seres minha e eu ser tua, somos ao mesmo tempo livres uma da outra e talvez seja por isso que nunca voaste para longe de mim, só comigo.”
E existe um momento em que alguém que nos diz tanto nos abre a mente com a verdade que nós não conseguimos ver e nos salva de tudo….
Obrigada ”…”
Quero um amor confesso e controverso, dos que não seguem curvas nem retas, sem conserto e desconcertante, num tom liso e sem padrões, num labirinto de emoções, que ensurdecem de gemidos surdos de prazer o futuro que contigo quero escrever, não quero uma saída mas sim que entres na minha vida.
Não sou uma mulher vulgar, quem me quer não procura o comum, nas linhas sóbrias da minha arquitetura, encontras-te com a modernidade e conforto do meu espaço, da luz que em mim penetra pela varanda que me atravessa, alimento–te da energia que te faz feliz e que nos despertará no quarto magnifico e confortável que irá desafiar a nossa imaginação. Na minha cozinha totalmente equipada vais descobrir a inspiração para me encantares com os aromas que ir-me-ão surpreender.
Todo este conforto foi idealizado para ti e ainda te ofereço o meu jardim, para que possas relaxar, quero-te sem jeito, surpreso de mim, não dá para disfarçar o quanto tenho para te dar e tudo pode ser teu se ma ofereceres no meus anos… Isto e os meus ➷♡ 950 batimentos cardíacos , conheço o teu sorriso e sei que não consegues evitar a tua vontade de me habitar.

Mais recentemente por motivos que não me ligavam directamente a esta frase ela surgiu e hoje escrevo sobre o que sinto quando a ouço ou relembro…   

‘’Do you remember the first time that you cut yourself?’’ 


Lembro-me de não ver nada mas de saber que não estava só. Sussurraram-me ao ouvido canções de embalar e a dor não sentiu sabor em mim. Um brilho saiu dos meus olhos naquele primeiro momento e desesperei ao saber que me aliviara.. sabia que nunca mais seria a mesma. Ali, naquela triste melodia, sem som e que escorria em mim… Segui nesse caminho até chegar à lua de tão longe que a determinada altura fui, tropecei nas calçadas dos pensamentos avassaladores que rondavam o meu segredo e lembro-me de pedir a mim mesma todos os dias para que nem eu própria alguma vez me abandonasse. Lembro-me de olhar a medo vários olhos pedindo ajuda e de me encontrar mais tarde, de novo, com inúmeros objectos que puramente me saciavam da loucura que eu precisava de soltar.  Lembro-me de sufocar dentro de mim, como se estivesse presa debaixo de terra, de mil mares, e de falar sem som, como nos filmes mudos… Lembro-me de tantos choros, tanto desespero, de tanta raiva de mim mesma e de como ao mesmo tempo nunca deixei de ser forte. De caminhar em passos lentos desejando correr sem força nas pernas e de tudo aquilo que me veio salvar. Lembro-me de quantas vezes pendurei o meu olhar bem no alto céu e de quantas vezes os cerrei igualando assim os punhos com tanta força que cheguei a ficar com a ponta dos dedos roxos. Lembro-me de todas as vezes que me forcei a mim mesma a responder quem eu era só para que eu não me esquecesse disso e do dia que mais sangrei. Lembro-me dos berros com que te chamei de novo à terra, para junto de mim, e do quanto te odiei por não me poderes ajudar ou salvar. Das horas sombrias e da saudade do amor. Aquele amor que me salvara sempre de todos os fantasmas, aquele que nunca se foi embora e que sem saber me tirou do pior de mim inúmeras vezes… Aquele amor que mesmo não sendo meu foi o coração que tanto bateu em meu peito. Lembro-me de a determinado dia querer sair de onde estava e de jurar a mim mesma que não o faria mais… Que não deixaria nem aquelas marcas em mim para me lembrar do que outrora tinha sido.. Às vezes basta fechar os olhos e nunca deixamos de nos encontrar connosco mesmos… E todos os dias eu resisto, ainda hoje, para ser mais forte a cada dia que passa, mesmo quando é quase impossível não fazê-lo…. …

- Fotografia do meu pulso direito -
"Não me chega que não me façam chorar: têm de me fazer rir. Não me chega, sequer, um sorriso tímido, têm de saber fazer-me rir descontroladamente. E chorar. E abraçar-me a seguir e dizerem-me que tudo vai correr bem. E que, a seguir, corra mesmo.
Não me chega que não me magoem: têm de me fazer sentir. Não me chega um amor morno, tem de me fazer queimar. Tem de ser uma paixão urgente enrolada em amor calmo. Ou um amor confortável embrulhado numa paixão indecente. Tudo ao mesmo tempo.
Não me chega uma vida morna. Um amor só porque sim. Um ombro só porque ampara. Um abraço só porque aquece. Um sorriso só porque é hábito. Preciso do tudo que é tão mais que isto.
Sou exigente: não me chega que gostem de mim.
Têm de saber amar-me.”
"Sabes, eu sou assim, toda exagerada, dramática, apressada, um poço de ansiedade. Eu vivo a meter os pés pelas mãos e, antes de dormir, arrependo-me todos os dias de um milhão de coisas que fiz durante o mesmo, e digo que não vou mais fazer. E quando amanhece, eu faço tudo igual. Sabes, eu sou assim, intensa, inteira e cheia de sonhos. Aliás é uma mania que eu nunca perco, sonhar acordada, planear mil coisas antes de dormir como se a vida fosse fácil e doce o tempo todo. Mas sabes de uma coisa, eu não mudaria a minha maneira de ser. Essa é a minha essência, e isso eu não mudo, nasceu comigo. Coloco muita intensidade em tudo que faço e sinto, porque quando eu gosto, eu entrego-me. E sou assim porque nunca gostei de meio termos, de metades. Sou oito ou oitenta, sou tudo ou nada. Se eu sofro com isso? Sofro e muito, mas não mudaria por ninguém, o sofrimento é o que me faz crescer e amadurecer, e eu preciso dele.”